Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO NATAL

“O Natal não é apenas uma festa no coração e no lar. É também a reafirmação da nossa atitude Cristã perante a vida”.
Joanna de Angelis

AMIGOS DO GRUPO

O QUE REALMENTE REPRESENTA O NATAL

O Natal representa o nascimento de JESUS, o CRISTO e a humanidade atualmente esquece de reverenciá-lo para pensar somente em Papai Noel.

Papai Noel pode ser olhado como um símbolo do Natal. Embora muitos digam que ele é a representação de São Nicolau, a figura do velhinho gordo, de cabelos e barbas brancas, todo vestido de vermelho deixou de ter qualquer relação com o Santo e passou a ser um ícone do comércio, do consumismo de nossa época.

O velhinho que dizem viver no Polo Norte, só aparece uma vez por ano, enquanto JESUS está sempre conosco, esperando que abramos nossos corações à sua mensagem de amor.

JESUS não precisa perguntar que presente queremos ganhar, porque ele sabe de todas nossas necessidades e ele se preocupa com nossas aflições e traz o alívio espiritual que precisamos – basta saber ouvi-LO.

Seus ensinamentos são o melhor presente que ELE poderia nos ter deixado. Precisamos entendê-los, valorizá-los e aplicá-los no dia-a-dia.

Assim, estaremos dando a JESUS, no seu aniversário o presente que ELE quer ganhar: a prova de que sua vinda a este planeta e seu sacrifício por nós não foram em vão.

É preciso reencontrar o CRISTO, que veio a nós para nos salvar e a data de seu nascimento marcou o início de uma nova era para a humanidade – a era do amor ao próximo, da caridade e da redenção.

TEMOS QUE TRAZER JESUS DE VOLTA AO NATAL, POIS ELE É A RAZÃO DE TODAS AS FESTIVIDADES.

Texto extraído do site: www.segurancasaude.blogspot.com/

Texto do Evangelho para a semana:
Capitulo: VI – Item 7 – O Advento* do Espírito de Verdade

NAS ORAÇÕES DE NATAL

Rememorando o Natal, lembramo-nos de que Jesus é o Suprimento Divino à Necessidade Humana.
Para o Sofrimento, é o Consolo;
Para a Aflição, é a Esperança;
Para a Tristeza, é o Bom Ânimo;
Para o Desespero, é a Fé Viva;
Para o Desequilíbrio, é o Reajuste;
Para o Orgulho, é a Humildade;
Para a Violência, é a Tolerância;
Para a Vaidade, é a Singeleza;
Para a Ofensa, é a Compreensão;
Para a discórdia, é a Paz;
Para o egoísmo, é a Renúncia;
Para a ambição, é o Sacrifício;
Para a Ignorância, é o Esclarecimento;
Para a Inconformação, é a Serenidade;
Para a Dor, é a Paciência;
Para a Angústia, é o Bálsamo;
Para a Ilusão, é a Verdade;
Para a Morte, é a Ressurreição.
Se nos propomos, assim, aceitar o Cristo por Mestre e Senhor de nossos caminhos, é imprescindível recordar que o seu Apostolado não veio para os sãos e, sim, para os antigos doentes da Terra, entre os quais nos alistamos…
Buscando, pois, acompanhá-lo e servi-lo, façamos de nosso coração uma luz que possa inflamar-se ao toque de seu infinito amor, cada dia, a fim de que nossa tarefa ilumine com Ele a milenária estrada de nossas experiências, expulsando as sombras de nossos velhos enganos e despertando-nos o espírito para a glória imperecível da Vida Eterna.

(Do livro “Os Dois Maiores Amores” – Francisco C. Xavier – Autores Diversos)

impressora