Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO DESPRENDIMENTO

“O Espiritismo não condena a riqueza, nem faz apologia da miséria e da pobreza, mas aconselha o desprendimento dos bens materiais.”
Rita Foelker

AMIGOS

O corre-corre da vida, nos desorienta, tornando-nos escravos de nós mesmos e dos nossos anseios.
Valorizamos e nos apegamos demais a tudo, que na realidade, não passa de empréstimo divino, esquecendo-nos do principal que é a moral cristã.
Falar em desprendimento num mundo onde o poder financeiro e a posse dos bens são tão valorizados, parece difícil.
Mas a própria Natureza tem nos mostrado, através das catástrofes que temos presenciado, o quanto tudo é passageiro em nossa vida. De um momento para outro tudo se acaba, os que têm muito perdem muito e os que têm pouco perdem o pouco que têm.
O apego aos tesouros terrestres, à posse desregrada aos objetos, aos animais ou mesmo às pessoas, nos impossibilita de avançarmos na direção do futuro.
Os bens Terrenos são transitório, só levaremos na partida, aquilo que aprendermos com o que possuímos.
Agradeçamos, então, a Deus por tudo o que conquistamos, mas aprendamos a nos libertar do que possuímos.
Emmanuel, no livro “Palavras de Vida Eterna”, diz: – “Lembra-te de que amanhã restituirás à vida o que a vida te emprestou, em nome de Deus, e que os tesouros de teu espírito serão apenas aqueles que houveres poupado em ti próprio, no campo da educação e das boas obras.”
Aprendamos a desprender, desapegar, desatar, desligar, a doar.

Texto do Evangelho para a semana:
Capitulo: XVI -Item 9 – “A verdadeira Propriedade”

DIANTE DO DINHEIRO

Examina em que se transforma o dinheiro nas tuas mãos, a fim de que possas ajuizar quanto ao proveito dos recursos passageiros que o Senhor te empresta à vida.
Não é o metal ou o papel da moeda circulante que te impõem prejuízos ao coração, mas sim o próprio sentimento com que deles te vales para imergir a existência na sombra do tédio ou da enfermidade, do remorso ou da indisciplina.
Reparas o que fazes e aprende a dirigir o dinheiro para que o dinheiro não te dirija.
Com alguns vinténs congregados, podes realmente adquirir a alegria e o socorro de muitos.
O leite à criança enferma e o livro ao analfabeto…
O pão ao faminto e o remédio ao doente…
O estímulo ao companheiro que luta na solução de inquietantes problemas e a felicidade do irmão em prova, algemado a aflitivos débitos…
Muita gente, porém, mobiliza a posse de alguns dias na aquisição de dor para muitos anos, de vez que, acumulando a prata e o ouro da Terra para dominar e ferir, escraviza-se a velhas paixões e a vícios pregressos, elevando-se, pela convenção da moeda humana, à frente do mundo e caindo, desvairado, diante das Leis Divinas.
Não temas o dinheiro dignamente conquistado, aprendendo, sobretudo a produzi-lo com teu próprio suor, e, guiando-lhe os movimentos no caminho do trabalho e da luz, da caridade e da educação, terás dele feito não mais o tiranizante senhor a encarcerar-te no estranho reino do azinhavre e da sovinice, mas sim o companheiro leal e o servo amigo a sustentar-te os passos na direção do Reino de Deus.

Do livro Intervalos
Psicografia de Francisco Cândido Xavier,
Pelo Espírito Emmanuel

impressora