Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO CONVÍVIO FAMILIAR

Semana de 29/07 a 04/08

Mês da Família

“Quando Jesus entra no Lar a Família se reconstrói.”
Joanna de Ângelis.

“Cada ser humano no convívio familiar deve aprender a vivenciar experiências que serão úteis em sua vida social.”
Adenáuer Novaes

AMIGOS

Deus sempre nos oferece oportunidades de aperfeiçoamento, quando reencontramos nossos afetos e desafetos do passado, em família.
O convívio familiar com os desafetos nos ajuda a estabelecer a simpatia, que antes não conseguíamos, e os afetos dão a sustentação para que possamos seguir em frente.
Viver em família é um grande desafio e, ao mesmo tempo, um importante aprendizado, é no convívio diário que superamos os desafetos e começamos a exercitar a convivência pacífica.
O verdadeiro significado de família é o exercício prático do ensinamento de Jesus: aprender a nos amar como verdadeiros irmãos, filhos de um mesmo Pai.

Texto do Evangelho para a semana – XIV – item 9 – o penúltimo e o último parágrafos somente: De todas as provas…

A FAMÍLIA NA VISÃO ESPÍRITA

Então, um doutor da lei, tendo se levantado, disse-lhe para o tentar: Mestre, o que é preciso que eu faça para possuir a vida eterna? Jesus lhe respondeu: Que é o que está escrito na lei? (…)Ele lhe respondeu: Amareis o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração, de toda vossa alma, de todas as vossas forças e de todo o vosso espírito, e vosso próximo como a vós mesmos.
Jesus lhe disse: Respondestes muito bem; fazei isso e vivereis.
Ainda hoje encontramos dificuldades para compreender as palavras de Jesus. Buscamos respostas distantes, quando na realidade a misericórdia Divina nos permite o exercício do amor e da caridade, no próprio convívio familiar, junto daqueles que nos cercam.
Somente a Doutrina dos Espíritos consegue nos explicar as verdadeiras necessidades de aprendizado que fazem parte da nossa bagagem espiritual, e que, pela reencarnação, nos é permitido esse exercício através do relacionamento familiar.

Somente o exercício do amor e da caridade, em substituição ao ódio, ao orgulho, poderá fazer de nós, criaturas melhores.
De extrema importância e responsabilidade a presença dos pais na educação dos filhos, espíritos que dependem da qualidade dos ensinamentos recebidos desde seus “nascimentos”, para que as virtudes recebidas possam transformar as dificuldades por eles trazidas. Infelizmente nem sempre isso ocorre.
Dificuldades recíprocas entre familiares impedem muitas vezes que um equilíbrio seja mantido no relacionamento, quando não temos forças suficientes para controle e domínio do mal que ainda trazemos em nós. Nesses casos, não conseguimos compreender que a dificuldade que “o outro” apresenta, na realidade, é a ferramenta que “precisamos” para corrigir nossas próprias imperfeições e fraquezas.

Para os que perseveram no erro, a dor e o sofrimento são os antídotos que recebemos para a cura do mal gerado.
Deus jamais abandona nenhuma de Suas criaturas, pois, Sua obra é perfeita, e, por maiores que possam ser as nossas dificuldades, um dia nos tornaremos espíritos puros; quanto ao tempo, ele é irrelevante, pois somos imortais e temos toda a eternidade disponível.

Parte do texto de Carlos Cristini
Do site: Verdade e Luz