Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO AUTOAMOR

Semana de 03 a 09 de março.

“Amai ao próximo como a ti mesmo.”
Jesus

No mandamento “Amai o próximo como a ti mesmo”, o autoamor foi estabelecido como parte da lei.
Aprender a amar-se é reconhecer nossas imperfeições como seres humanos, e espíritos em evolução, que somos.
Autoamor é respeitar-se, respeitar nossos limites, e mais ainda, entendê-los.
É também, cultivar o auto perdão. Tão importante e necessário quanto perdoar os erros dos outros é nos libertarmos das nossas próprias culpas.
Amar-se é aceitar-se como alguém que ainda se encontra na caminhada rumo ao aperfeiçoamento moral e espiritual, mas que tem certeza da chegada.
O autoamor desperta nossa consciência para a necessidade de elevação, e faz com que queiramos cultivar sentimentos mais nobres e saudáveis, para que cheguemos mais depressa â nossa destinação evolutiva.
Amar o outro é respeita-lo, auxilia-lo, perdoa-lo.
Amar-nos é fazer o mesmo conosco, estabelecendo uma via de mão dupla, porque o amor que damos para o outro só será realmente benéfico quando for sentido em nós mesmos.
Que nesta semana possamos refletir sobre o desenvolvimento do amor a nós mesmos, valorizando-nos e enxergando-nos como “FILHOS AMADOS DE DEUS”, dessa forma aprenderemos, também, a amar e valorizar o próximo como Jesus nos ensinou.

Texto do Evangelho para a semana: Capítulo: – XI – “Amar ao próximo como a si mesmo” – Item – 4

Amor a si mesmo

A síntese proposta por Jesus, em torno do amor, é das mais belas psicoterapias que se conhece: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Ante a impossibilidade de o homem amar a Deus em plenitude, já que tem dificuldade em conceber o absoluto, realiza o mister, invertendo a ordem do ensinamento , amando-se de início, a fim de desenvolver as aptidões que lhe dormem em latência.
Esforçando-se para adquirir valores iluminativos a cada momento, cresce na direção do amor ao próximo, decorrência natural do autoamor, já que o outro é extensão dele mesmo.
Então, finalmente conquista o amor a Deus, em uma transcendência incomparável, na qual o amor predomina em todas as emoções e é o responsável por todos os atos.
O Espírito Joanna de Ângelis, através da mediunidade de Divaldo Franco, apresenta a necessidade primeira de autoamor, como alavanca fundamental para a conquista de todas as esferas desse sentimento supremo.
Mas, de que forma amar a si mesmo?
O Ama a si mesmo, da proposta de Jesus, é um imperativo que não deve ser confundido com o egoísmo, ou o egocentrismo.
Amar a si mesmo significa respeito e direito à vida, à felicidade que o indivíduo tem e merece.
Trata-se de um amor preservador da paz, do culto aos hábitos sadios e dos cuidados morais, espirituais e intelectuais para consigo mesmo.
É sempre estar fazendo as melhores escolhas para si mesmo, vendo-se como Espírito imortal, sem nunca deixar de respeitar, obviamente, o bem comum.
Quando escolho amar mais minha família, dedicando-me inteiramente aos relacionamentos, cultivando a paciência e a tolerância, estou amando a mim mesmo.
Quando escolho perdoar e deixar de levar comigo o peso de uma mágoa, estou amando a mim mesmo.
Quando escolho aprender, buscando aprimoramento intelectual nas áreas do conhecimento de meu interesse, estou me autoamando.
Quando me aceito como sou e vejo em minhas imperfeições situações temporárias – uma vez que me esforço para corrigir meus erros – estou amando a mim mesmo.
Quando me dedico, diariamente, ao exame de consciência, à meditação, ao autoconhecimento, estou dando provas de amor a mim mesmo.
São exemplos de atitudes, de pensamentos e sentimentos que elevam nossa autoestima – que é este julgamento que fazemos de nós mesmos – e nos empurram sempre para frente, para a felicidade.
O autoamor proporciona uma visão mais clara de quem se é, do que se deseja e do que não se deseja para si.
É através dele que estabelecemos metas para nossa existência: metas educacionais, familiares, sociais, artísticas, econômicas e espirituais, pensando em nós não apenas agora, mas nos cuidados para com o futuro.
Somos todos importantes. Criaturas únicas no Universo que buscam a felicidade através do aprender a amar: a si, ao outro e a Deus.
Ame a você mesmo… Enquanto é hoje.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 13, do livro Amor, imbatível amor, de Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal. Em 15.11.2011.