Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO AUTO PERDÃO

Semana de 03 a 09 de fevereiro.

Pensemos nisso: nenhum erro é irreparável, contudo, cabe-nos zelar para não incidir na mesma falta.
Redação do Momento Espírita.

Amigos

Saber perdoar-se não é uma tarefa simples que consigamos fazer com facilidade. Quando pensamos no sofrimento que causamos ao nosso próximo, sejam eles amigos, familiares, conhecidos, ou mesmo anônimos, fica difícil simplesmente nos perdoarmos e esquecer o erro.
Por outro lado, porque nos martirizar trazendo na consciência o peso de um erro do passado, se sabemos que águas passadas não movem moinhos.
A única solução cabível será aproveitarmos o tempo deste projeto reencarnatório e fazer a diferença positiva na vida daqueles que cruzarem nosso caminho.
Quando Jesus mandou atirar a primeira pedra na mulher adúltera aquele que estivesse sem pecado nos ensinou que todos, inclusive nós, somos dignos de perdão, mas quando disse a ela – Vai e não peques mais, estava ensinando a nunca mais repetir um erro.

Texto do Evangelho – Cap. X item 12.

Perdoa-te

Conta-se que, quando Maria de Magdala deixou-se penetrar pela mensagem do Suave Rabi da Galiléia, uma onda de questionamentos lhe invadiu a alma.
Ela, a grande pecadora, que buscava o amor de forma equivocada na tentativa de preencher o vazio da alma, diante da proposta de amor que aquele Homem singular lhe apresentava, pôs-se a meditar e sentiu-se uma mulher em escombros.
Num lindo dia ela travou um diálogo singular com o Messias de Nazaré.
Abriu seu coração ao Amigo, dizendo que era um trapo de mulher e que seria difícil ser aceita por Deus, já que cometera tantos desatinos. Por onde começar, ou recomeçar?
O Mestre, com o olhar sempre compassivo, apontou pela janela um determinado quadro e lhe perguntou: O que vês lá, minha filha?
Ela observou o quadro e respondeu: Vejo uma casa em ruínas, Senhor.
E então, não vês que ela está recoberta com lindos ramos e flores? Se Deus lança sobre os escombros de uma casa em ruínas as formosas buganvilles (espécie de flores) o que não lançará sobre um de seus filhos que queira renovar a paisagem íntima?
Naquele instante, os olhos de Maria se encheram de lágrimas, sinceramente brotadas das profundezas da alma.
Uma onda diferente a invadiu. Era como se um suave perfume penetrasse sua intimidade abrindo um horizonte novo: a esperança nascia.
Revitalizada pelas palavras do Profeta de Nazaré, Maria de Magdala logo deu início à obra de redenção particular.
Entendia agora o que Jesus quis dizer com as flores recobrindo a casa em ruínas. Sentia que era a oportunidade bendita que a Misericórdia Divina lhe oferecia para refazer os caminhos equivocados.
Passou a atender os sofredores, os desalentados, os mortos-vivos corroídos pela lepra. Nesse ministério, na medida em que aliviava o sofrimento alheio, Deus lhe supria as forças e lhe iluminava a alma.
Foi assim que Maria de Magdala conseguiu perdoar-se.
Se, às vezes, você se sentir como se estivesse em escombros, lembre-se da afirmativa de Jesus: – Se Deus recobre com flores perfumadas uma casa em ruínas, o que não lançará sobre um de Seus filhos que queira mudar a paisagem íntima? A nós só resta a decisão firme de mudar a nossa paisagem interior.

Adaptação – cap. 20, do livro – Boa nova, do Espírito Humberto de Campos, psicografado por Francisco Cândido Xavier, Ed. Feb.