Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO ANIVERSÁRIO DO IEOB

“Um templo espírita é um santuário de prece e trabalho.”
Martins Peralva

AMIGOS DO GRUPO

Este mês nossa Casa completa mais um ano de existência.
Já são somados 73 anos de trabalho no auxílio ao próximo e na divulgação da Doutrina Espírita; trabalho este, que teve sempre como princípio o amor e a solidariedade.
Nesses 73 anos, quantos já passaram por essas portas? Seja na condição de: trabalhador ou frequentador; de encarnado ou desencarnado.
E todos, com certeza, deixaram sua contribuição para que a Casa se consolidasse e se fortalecesse no caminho do bem e da fraternidade.
Por isso, PARABÉNS AO OBREIROS DO BEM e a você OBREIRO DO BEM por fazer parte dessa grande e querida família.

Texto do Evangelho para a semana:
Capitulo: XV – Item – 10 – “Fora da Caridade não há Salvação”

O Centro Espírita

1 – O que é o Centro Espírita?
É o local onde as pessoas se congregam para tratar de assuntos relacionados com a Doutrina Espírita.
2 – Por que “centro”?
Como ocorre com frequência na língua portuguesa, esse termo tem vários significados. Em se tratando de Doutrina Espírita, podemos considerá-lo sinônimo de sociedade, expressão mais adequada, que vem sendo usada com frequência na denominação das instituições doutrinárias espíritas. Mais exatamente, seria associação, já que, de acordo com o novo código civil, a expressão sociedade deve ser reservada a empresas de caráter comercial.
3 – Como poderíamos definir as atividades do Centro Espírita?
São várias, às quais as pessoas têm acesso à medida que se integram. Num primeiro momento o Centro Espírita tem sido para a maior parte dos que chegam um hospital para tratamento de males do corpo e da alma.
4 – Quais os recursos mobilizados nesse “hospital”?
Envolvem passes magnéticos, entrevistas fraternas, trabalhos de vibração, reuniões de desobsessão… Considere-se, entretanto, que esses recursos são de superfície. Cuidam de efeitos, envolvendo a visão que as pessoas têm da vida e sua maneira de viver. Para que tenham efeito duradouro é preciso que os interessados busquem um segundo estágio.
5 – Qual seria?
A escola, onde frequentarão cursos de Espiritismo para uma visão objetiva dos porquês da existência e, sobretudo, das origens de seus problemas de saúde. A doença é sempre um espelho da alma, mostrando-nos que algo não vai bem em nossas concepções de vida, em nossa maneira de viver. O aprendizado espírita faculta-nos esse entendimento.
6 – As pessoas buscam ajuda e aprendem que é preciso que ajudem a si mesmas?
Isso é elementar em Espiritismo. Não existe um destino pontuado, em que as coisas acontecem porque está escrito. Vivemos num regime de causa e efeito em que, permanentemente, colhemos o que semeamos, envolvendo causas próximas ou remotas, de hoje, de ontem, do ano passado, de existências pretéritas… Se quisermos que nosso futuro seja diferente, devemos mudar nosso presente, buscando um comportamento compatível com a moral evangélica, que resume o que Deus espera de nós.
7 – Hospital e escola. Algo mais?
Num terceiro estágio, o Centro Espírita é abençoada oficina de trabalho onde, pelo empenho de servir, neutralizamos o grande mal de nossa personalidade – o egoísmo. É a partir do comportamento voltado unicamente para os interesses pessoais, que resvalamos para a inconsequência, a desonestidade, o vício, a agressividade, e tudo o mais que nos compromete.
8 – E a comunhão com Deus? O Centro Espírita não funciona também como um templo divino?
Templo é o Universo, a casa de Deus. Vivemos nela. O Centro Espírita é a escola/oficina, que nos permite, com as iniciativas que sugere, um padrão vibratório que nos faculte a comunhão com o Pai Celeste. Esse programa renovador está maravilhosamente definido por Léon Denis, ao proclamar: Tende por templo o Universo; por imagem, Deus; por lei, a Caridade; por altar, a Consciência.

Livro: Espiritismo, Tudo o que você precisa saber
Autor: Richard Simonetti

impressora