Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DO AMAR

“Sentir para saber com amor, e saber, para sentir com sabedoria, porque o amor e a sabedoria são as asas dos anjos que já comungam a glória de Deus.”
Francisco Candido Xavier

Amigos do Grupo

No ultimo Projeto Transformação Moral, nos foi lembrado o ensinamento do querido mestre Allan Kardec que diz: “Espíritas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; Instrui-vos, eis o segundo.”
O codificador da Doutrina Espírita deu-nos as duas chaves para abrirmos qualquer porta que se nos apresente fechada no decorrer da caminhada doutrinária; como a duvida, o receio, as desavenças, as discórdias, a maledicência, o melindre, etc.
Se usarmos essas duas chaves “o amor e a instrução” nos momentos de conflito dentro do nosso postulado espírita, teremos, com toda certeza, maiores chances de encontrarmos as boas soluções.
“Instrução é ato ou efeito de instruir. É adquirir conhecimento, e só adquirimos conhecimentos através de nossos estudos e, acima de tudo, através das boas leituras e dos bons livros. Mas o ser humano adquire as luzes para o discernimento saudável e para a vivência compatível, com os impositivos do amor.”
Que o mandamento maior do Cristo esteja sempre presente entre nós, para que encontremos e plantemos, em nossos caminhos, muito mais flores que espinhos.

Texto do Evangelho para a semana:
Capítulo: -XI- Item: 10

Amor segundo São Paulo

Mesmo que eu fale em línguas, a dos homens e a dos anjos, se me falta o amor, sou um metal que ressoa, um címbalo retumbante.
Mesmo que tenha o dom da profecia, o saber de todos os mistérios e de todo o conhecimento, mesmo que tenha a fé mais total, a que transporta montanhas, se me falta o amor, nada sou.
Mesmo que distribua todos os meus bens aos famintos, mesmo que entregue o meu corpo às chamas, se me falta o amor, nada lucro com isso.
O amor tem paciência, o amor é serviçal, não é ciumento não se pavoneia, não se incha de orgulho, nada faz de inconveniente, não procura o próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor, não se regozija com a injustiça, mas encontra a sua alegria na verdade.
Ele tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca desaparece (…)
(…) Agora, portanto, permanecem estas três coisas: a fé, a esperança, e o amor.
A maior delas, porém, é o amor.

(Paulo, 1 Coríntios 13)