Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DE REFLETIR SOBRE A MEDIUNIDADE

“Todos os seres humanos são possuidores de pródromos (germe) da mediunidade, porquanto, sendo uma conquista do Espírito, um dia constituirá um sentido objetivo a mais, proporcionador de inestimáveis recursos para a existência terrestre.” – Joanna de Angelis

A mediunidade é um instrumento que auxilia na nossa evolução, e quando aplicada com consciência, possibilita um maior progresso espiritual e o cumprimento da nossa missão nesta encarnação .
A mediunidade é uma faculdade do espírito, pois é a capacidade de perceber estímulos fora do mundo material, de perceber influências sutis de diferentes formas e em diferentes graus. É a ferramenta que faz com que o homem preso ao mundo material por conta da sua encarnação, mantenha-se em sintonia com o mundo espiritual e seus habitantes.
É por isso que a mediunidade tem sido estudada ao longo de várias civilizações pois o seu bom desenvolvimento possibilita ao ser humano a capacidade de compreender cada vez mais a grandeza do universo, a missão da sua vida, a força poderosa do amor e a profundidade da intenção dos pensamentos e sentimentos.
Sendo a mediunidade um dom permitido pelo Criador, cabe a nós aprendermos a utilizá-la para o bem, sem temê-la por não ser algo sobrenatural, mas sim um dom absolutamente controlável com estudo e disciplina, e aplicável no trabalho do bem a que nos dedicarmos.
Muito Obrigado Allan Kardec por ter nos trazido o Livro dos Médiuns.

Texto do Evangelho – Cap. XXVIII – Coletânea de Preces Espiritas
Itens 8 e o 1º /2º /3º e 4º parágrafo do item 9.

Problema contigo

Reunião pública de 19/8/60
Livro dos Médiuns – Questão nº 220 – Parágrafo 14º

14ª – Se é uma missão, como se explica que não constitua privilégio dos homens de bem e que semelhante faculdade seja concedida a pessoas que nenhuma estima merecem e que dela podem abusar?
R – “A faculdade lhes é concedida, porque precisam dela para se melhorarem, para ficarem em condições de receber bons ensinamentos. Se não aproveitam da concessão, sofrerão as consequências. Jesus não pregava de preferência aos pecadores, dizendo ser preciso dar àquele que não tem?”

Fugindo à mediunidade, muita gente acaba alegando:
– Não suporto o labirinto de opiniões.
– A divergência está em toda parte.
– É muita exigência.
– Tentei, mas não pude.
– Não sou cobaia.
– Aguente quem quiser.
– Não quero complicações.
– É luta demais.
E acrescenta: – Deus não castiga. E não é por eu deixar a prática da mediunidade que o mundo se tornará pior.
***
Sim, o Criador não condena as criaturas, mas corrige as criaturas desajustadas, por intermédio de suas leis.
Ele é a Sabedoria Infinita e determina, através da cultura, o erguimento da escola em socorro aos analfabetos, mas não arranca às trevas do espírito quantos se acomodam nas furnas da ignorância.
Ele é a Bondade Infinita e sugere, através da Ciência, a formação do remédio que alivie os doentes, mas não retira a moléstia de quem persiste no abuso.
Ele é o Amor Infinito e patrocina, através da solidariedade, a construção do manicômio em que se abriguem os alienados mentais, mas não suprime a loucura de quem se endividou no desequilíbrio.
Ele é a Compaixão Infinita e estabelece, através do trabalho, os meios necessários à solução de todos os dissabores e obstáculos que se antepõem ao progresso e à tranquilidade do homem, mas não afasta a dificuldade de quem se entrega à preguiça.
É assim que Ele, na Terra de hoje, promove, através da Doutrina Espírita, todos os recursos precisos a que te dediques, com êxito, à sagrada missão da mediunidade, em teu próprio favor, mas, se desertas da obrigação, o resultado de semelhante atitude é problema contigo.

Seara dos Médiuns-Emmanuel / Chico Xavier