Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DE PRATICAR A CARIDADE

“Todas as vossas coisas sejam feitas com caridade.”
Paulo (I Coríntios, 16:14)

Amigos do Grupo

Jesus ao narrar à parábola do Bom Samaritano exemplificou a caridade em ação (Lucas 10. 25-37).
Quantos de nós somos acometidos diariamente por flagelos de ordem moral e/ou material e, igual à personagem da parábola, agonizamos a espera de auxilio.

Quantos de nós, também, a exemplo do Sacerdote e do Levita, nos deparamos e/ou percebemos os flagelos de nossos irmãos e seguimos o caminho, em detrimento da ação em consonância com o bom exemplo citado pelo Cristo.

Pensar em caridade é bom, falar de caridade é bom, melhor ainda é quando a praticamos. E, as oportunidades dessa ação, não dependem exclusivamente de recursos materiais, pois, em número muito maior são os necessitados de Amor, de carinho, de compreensão, de uma palavra amiga.

Amigo (a), não espere dias melhores para por em prática as dádivas que já galgastes no caminho da redenção. Assim como o bom Samaritano, age agora, sem contabilizar os auxílios despendidos, observa! o Pai todo dia te recruta ao labor de sua obra.

Texto do Evangelho para a semana:
Capitulo: XV – Item 10 – Fora da Caridade não há salvação

Com Caridade

Ainda existe muita gente que não entende outra caridade, além daquela que se veste de trajes humildes aos sábados ou domingo para repartir algum pão com os desfavorecidos da sorte, que aguarda calamidades públicas para manifestar-se ou que lança apelos comovedores nos cartazes da imprensa.

Não podemos discutir as intenções louváveis desse ou daquele grupo de pessoas; contudo, cabe-nos reconhecer que o dom sublime é de sublime extensão.

Paulo indica que a caridade, expressando amor cristão, deve abranger todas as manifestações de nossa vida.

Estender a mão e distribuir reconforto é iniciar a execução da virtude excelsa. Todas as potências do espírito, no entanto, devem ajustar-se ao preceito divino, porque há caridade em falar e ouvir, impedir e favorecer, esquecer e recordar. Tempo virá em que a boca, os ouvidos e os pés serão aliado das mãos fraternas nos serviços do bem supremo.

Cada pessoa, como cada coisa, necessita da contribuição da bondade, de modo particular. Homens que dirigem ou que obedecem reclamam-lhe o concurso santo, a fim de que sejam esclarecidos no departamento da Casa de Deus, em que se encontram. Sem amor sublimado, haverá sempre obscuridade, gerando complicações.

Desempenha tuas mínimas tarefas com caridade, desde agora. Se não encontras retribuição espiritual, no domínio do entendimento, em sentido imediato, sabes que o Pai acompanha todos os filhos devotadamente.
Há pedras e espinheiros? Fixa-te em Jesus e passa.

Do livro: Pão Nosso
Psicografia de: Francisco Candido Xavier
Pelo Espírito Emmanuel