Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DE DESENVOLVER A COMPAIXÃO

“Age e caminha, trabalha e serve, inspirando-te na compaixão que deves a todas as criaturas.”
Emmanuel

AMIGOS DO GRUPO

Nos últimos tempos temos ouvido ou presenciado violências absurdas e que muitas vezes nos leva a desacreditar que a humanidade está evoluindo.
Permitimos que a revolta invada nossos corações e que nossas mentes criem punições para cada uma delas… Sem nos darmos conta de que essas punições que criamos são tão atrozes quanto os atos daqueles que a praticaram.
Já que temos tal capacidade, porque não transformarmos essas energias de revolta, indignação entre tantas outras: em tolerância, esperança e compaixão?
“(…) COMPAIXÃO, segundo o dicionário é ter clemência, comiseração dó, indulgência, misericórdia, pena, piedade, sentimentos que necessitamos desenvolver em relação às pessoas que ainda não têm consciência da imortalidade de que são portadores. Por isso agem com esta crueldade, por não saberem que a impunidade Divina não existe.”
Compaixão para com esses seres que se encontram em desequilíbrio distantes dos conhecimentos das leis de Deus e sem o conforto de uma fé raciocinada para os nortearem ao caminho do bem.
Se quisermos presenciar a transformação da humanidade e evolução do nosso planeta, devemos nos comprometer em auxiliar esse processo.
Se nos deixarmos envolver pela revolta, estaremos perdendo uma grande oportunidade de desenvolvermos a compaixão para com esses nossos irmãos que se encontram perdidos e dominados por influências negativas.
Vamos ser a influência positiva para com esses desvalidos, irradiando pensamentos de compaixão e fé…
Tendo a certeza de que dessa forma estaremos vivenciando os ensinamentos deixados pelo nosso mestre e irmão maior Jesus.

Texto do Evangelho para esta semana: Capítulo X – Item 16 – “A Indulgência”

COMPAIXÃO E VIDA

Compadece-te de quantos se encarceram nas malhas esbraseadas da violência.

A fim de prestar-lhes auxílio, lembra-te de cultivar a paz, como quem se decide a socorrer as vítimas de um incêndio, usando compreensão e brandura.

Aqueles que largam a órbita da prudência, caindo na agressividade exagerada, entram para logo nos quadros patológicos da loucura. E já não sabem o que fazem.

Compadece-te sempre.

Por trás das palavras candentes que te magoam, comumente existe um coração avinagrado pela carência de amor, suplicando apoio afetivo.

Na retaguarda dessas faces contraídas, semelhantes a máscaras de ódio despejando condenação, muitas vezes se esconde a dor da criatura que se vê sem forças suficientes para suportar a moléstia que carrega no próprio corpo.

E movendo as mãos que espancam sem pensar, quase sempre, jazem sofrimentos ocultos ou influências obsessivas que as fazem desvairar.

Se te encontras em caminho com semelhantes doentes da alma, abençoa-os com a prece muda e segue adiante.

Se te gritam em rosto impropérios e insultos, continua orando por eles, nada repliques e confia-os em pensamento, à Providência Divina. Os agressores são irmãos enfermos, em cuja alma a revolta instalou perigosas tomadas de ligação com as trevas que lhes atormentam a vida.

Diante deles, recorda a paz que o Senhor te concede e entrega-os à farmácia do Bem Eterno.

Perante quaisquer problemas, o Céu tem soluções que desconhecemos.

É por isso que Jesus proclamou no Sermão do Monte: “Bem-aventurados os misericordiosos porque encontrarão misericórdia, diante das Leis de Deus”.

Texto extraído do livro: Marcas do Caminho
Pelo espírito: Meimei
Psicogrado por Francisco Cândido Xavier

impressora