Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DE AMAR JESUS

“SEMANA DE AMAR JESUS”

FEVEREIRO MÊS DE JESUS
“… vem ao Mestre que ampara os pobrezinhos,
Que esclarece e conforta os sofredores,
Pois com o mundo uma flor tem mil espinhos,
Mas com Jesus um espinho tem mil flores ! ”
Carmen Cinira/Chico Xavier

Amigos do Grupo

Sempre que pensamos Jesus, vemos uma superioridade natural em tudo que Ele fazia, dizia, ensinava, praticava. Esse Espírito Perfeito e Puro que viveu entre nós como homem deixou claro em todos os momentos a perfeição espiritual de que era portador. Nas curas que operava sempre olhava o curado com imenso amor e dizia-lhe – A tua fé te curou. Como a esclarecer-lhe que a cura se operou porque o doente quis, acreditou, arrependeu-se, e propôs-se a modificação dali em diante.
Ele não curou a todos, somente aqueles que estavam prontos para merecer a cura, e levar avante uma vida sem futuros comprometimentos negativos.
Jesus não era um curandeiro milagroso, era um espírito perfeito em todos os aspectos, com a capacidade intelecto moral de manipular os fluidos e a matéria e tirar dela a doença ali alojada.
Como tão bem coloca Allan Kardec – “Pelos imensos resultados que Ele produziu, a Sua encarnação neste mundo só poderia ser uma destas missões confiadas aos mensageiros diretos da Divindade.
Sabendo-O assim como não ama-Lo, como não confiar neste perfeito Mestre co-criador da terra que ainda hoje olha por todos nós.

Texto do Evangelho – capitulo XI item 8 – A lei de Amor
A Mulher Hemorrágica

Ela aproxima-se cansada, aflita cheia de esperança e movida por uma intensa fé. Num dado momento, a multidão dá-lhe passagem, e ela tenta a todo custo chegar até o Profeta Galileu.
Apenas um minuto a separa de seu objetivo. A hemorragia, neste exato instante, parecia aumentar de intensidade; esvaindo-se em sangue, ela se lança em direção ao Mestre, ajuntando todo o resto das forças que possuía num esforço hercúleo. Consegue apenas tocar-lhe as vestes.
É o suficiente. Imediatamente a virtude do Senhor é canalizada até ela, e uma onda de vitalidade percorre-lhe o ser.
O magnetismo divino reestrutura órgãos e células e reequilibra corpo e alma da atormentada criatura. Ela para por um momento, pensativa. Apenas por um momento. Volta para dentro de si mesma e faz silêncio em sua alma.
O Mestre, detendo seus passos, confabula com os seguidores mais próximos:
— Sinto que alguém me tocou.
— Mas, Senhor, são tantos os que o tocam em meio a esta multidão… respondem os discípulos, sem compreender as palavras de Jesus.
— Sim mas alguém tocou-me de modo especial. Sinto que de mim saiu virtude.
Jesus, voltando-se para a mulher, dirige a ela o seu olhar. Neste momento parece haver se realizado o casamento do Céu com a Terra. Ninguém resiste ao doce e meigo olhar de Jesus. É a hora da verdade. A verdade que jamais poderia ser declarada; em vez disso, vivida.
“Mulher a tua fé te salvou!” — são as palavras pronunciadas pelo Senhor.
Aquele fora o momento da redenção para aquela alma valorosa. Sua vida ilibada, sua fé ardorosa e sua conformação com a vontade do Eterno a faziam merecedora das bênçãos divinas. Onde a medicina humana falhara, porque limitada, manifestava todo o seu poder a ciência divina, e o embaixador das estrelas, o divino médico das almas, mostrava-se soberano aos problemas humanos. A hemorragia cedera ante a atuação do amor. A prova da mulher cessara, e ali, no encontro com Jesus, iniciara-se uma nova etapa para aquela alma que provara a sua fé, cheia de esperança, na fonte divina de todo o bem. Era a vitória da luz.

Do livro – Mulheres do Evangelho cap. 7
Autor – Estevão, psicografia de Robson Pinheiro.