Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DE AGRADECIMENTO À KARDEC

O homem aqui não mais está, nós o repetimos, mas Alan Kardec é imortal, e a sua lembrança, os seus trabalhos, o seu Espírito, estarão sempre com aqueles que tiverem, firme e altamente, a bandeira que ele sempre soube respeitar”.
Revista Espírita, maio de 1869.

Amigos

Muitos professores e educadores passaram por nossas vidas. Somos gratos a todos. Mas esta semana em especial, direcionamos nossa gratidão ao educador e pedagogo, Hippolyte Léon Denizard Rivail, melhor conhecido por nós espíritas, como Alan Kardec, o codificador do Espiritismo.
Se hoje temos a oportunidade de adotar a Doutrina Espírita como suporte de nossas crenças e valores, foi porque Kardec, diante do chamado do Mestre Jesus, aceitou humildemente o desafio, dedicando muito amor, estudo e trabalho à causa do bem.
Através de Kardec, recebemos uma herança preciosa: a Doutrina Espirita. Tendo ao mesmo tempo os aspectos de filosofia, ciência e religião, esse manancial de bençãos é base para nosso conhecimento, renovando-nos a fé a cada dia, e levando-nos ao encontro da paz e do amor.
Onde estiver, seguramente Kardec está satisfeito pelos frutos de todo trabalho que realizou, pois auxilia, não somente a nós, mas a muitos espíritos encarnados e desencarnados, ainda que estes não sejam espíritas.
Que possamos sempre nos lembrar de Kardec e de sua obra, envolvendo-o em vibrações de amor, não apenas em seu aniversário, mas todos os dias em que vivenciarmos nossa fé inabalável diante das oportunidades apresentadas pela vida.
Obrigado, Alan Kardec! Que Jesus, nosso Mestre, te abençoe!

Texto do Evangelho para a semana: Capitulo: I – Item – 10
(Projeto Elaborado pela Juventude Espírita Obreiros do Bem)

Gratidão a Allan Kardec

Quando as ciências se afirmavam e a fé cega cedia lugar à razão, ele soube arrancar dos fenômenos curiosos das mesas girantes uma doutrina integral.
Portador de sensibilidade acurada, mantendo um alto senso crítico, dotado de inteligência rara, Allan Kardec mergulhou o bisturi da investigação no organismo da morte e estabeleceu a linha direcional para o comportamento humano responsável em torno da imortalidade.
Ele não se deteve no umbral das investigações, fascinado pelas informações espirituais que lhe chegaram. Tampouco permitiu se apaixonar, em momento nenhum, pelas conquistas enobrecedoras.
Perquiriu, com raciocínio claro, examinou com imparcialidade, investiu o tempo e a vida na busca da Verdade, para brindar à Humanidade com o Consolador que Jesus havia prometido.
Dotado de uma óptica invulgar, soube esperar as gemas dos seixos, os diamantes estelares dos pedregulhos, com eles formando um colar de rara beleza para adornar a vida, tornando-a bem-aventurada.
Investindo o que havia de mais precioso no conhecimento, para que a Doutrina Espírita pudesse sobreviver à marcha do progresso, examinou os mais intrigantes problemas do comportamento humano à luz da reencarnação, oferecendo uma filosofia pragmática, alicerçada no cartesianismo, facultando no futuro enfrentar com altivez a derrocada da ética e da cultura, qual ocorre nestes dias.
Confrontou os dogmas religiosos com a realidade da Ciência, e, fazendo-os implodir, propôs a religião do amor universal tendo por fundamento as bases essenciais de todas elas, com os seus componentes confirmados pela investigação científica, do que resultou uma saudável filosofia comportamental.
…Advertiu todos aqueles que se adentrassem no comportamento espírita para que examinassem em profundidade a Doutrina, não se deixando embair pelas ideias fantasistas ou pelas profecias de arrastamento, sem conteúdo. E hoje, quando o Espiritismo sensibiliza milhões de vidas, o seu Movimento parece deperecer, perdendo em qualidade o que adquire em quantidade.
Adeptos precipitados tentam enxertar conceitos supersticiosos no organismo impoluto da Doutrina que dispensa apêndices, permanecendo ideal conforme foi legada por Allan Kardec.
A invigilância de alguns simpatizantes procura adaptar crendices ultramontanas ao texto doutrinário, para acomodar interesses imediatos e vazios, por falta de coragem para arrostar as consequências da fé na sua legitimidade.
Teimam introduzir no seu conteúdo superior práticas que, embora respeitáveis, são do Orientalismo, não se coadunando com a tecedura da verdade de que Allan Kardec se fez intermediário consciente.
…O Espiritismo é a Doutrina que vem de Jesus por meio dos imortais, codificada pelo pensamento ímpar de Allan Kardec para assinalar a era do Espírito imortal e permanecer traçando as diretrizes para as gerações do futuro que nos cumpre, desde agora, preservar mediante uma conduta saudável, impoluta e compatível com os postulados que fulguram nesse colosso, que é o Espiritismo, a Doutrina libertadora dos novos tempos…

Autor: Vianna de Carvalho
Psicografia de Divaldo Franco
Livro: Reflexões Espírita