Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA VALORIZAÇÃO DA FAMÍLIA

“A família é, antes de tudo, um laboratório de experiências reparadoras, na qual a felicidade e a dor se alternam, programando a paz futura.”
Joanna de Angelis

AMIGOS

Muitas vezes achamos que a nossa família poderia ser a “família IDEAL” “SE FOSSE”: Melhor e diferente.
Essa família que nem sempre nos recebe como gostaríamos, depois de um dia cansativo de trabalho; essa família que já trocamos a companhia, por outra, para passar uma data comemorativa, só para fugir das pessoas que achamos inconvenientes.
Essa família que deixamos de marcar almoços aos domingos, alegando que será desgastante e precisamos descansar.
Se fossemos enumerar as desculpas que poderíamos encontrar para a não união e não valorização desse núcleo são muitas, mas nenhuma delas se mantém diante de um mandamento tão sublime como “AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO”.
Deus nos deu de presente “ESSA” família (de acordo com a necessidade de cada um), para praticarmos esse mandamento e acredite, é ela que auxiliará em nosso crescimento enquanto espíritos em busca da evolução moral e espiritual, e nós os auxiliaremos também. Nosso lar é como diz a frase citada acima: “um laboratório de experiências reparadoras”. Quanto mais refletirmos sobre tudo o que envolve essa célula redentora, de grande aprendizado e se conseguirmos vencer as diferenças, desenvolvendo o respeito, a harmonia, o perdão e a caridade mais perto estaremos de entender o amor de Deus por nós e nos aproximaremos cada vez mais Dele.
Valorizemos nossa família, do jeito que ela está, pois é o que precisamos no momento, CONFIEMOS e façamos a nossa parte.

Evangelho para a semana: Capítulo: XIV – Item: 9 – A Ingratidão dos filhos e os laços de família – Último Parágrafo

EM FAMÍLIA
A família consanguínea é a lavoura de luz da alma, dentro da qual triunfam somente aqueles que se revestem de paciência, renúncia e boa vontade.
De quando a quando, o amor nos congrega, em pleno campo da vida, regenerando-nos a sementeira do destino.
Geralmente, não se reúnem a nós os companheiros que já demandaram à esfera superior, dignamente areolados por vencedores, e sim afeiçoados menos estimáveis de outras épocas, para restaurarmos o tecido da fraternidade, indispensável ao agasalho de nossa alma, na jornada para os cimos da vida.
Muitas vezes, na condição de pais e filhos, cônjuges ou parentes, não passamos de devedores em resgate de antigos compromissos
Se és pai, não abandones teus filhos aos processos evolutivos da natureza animal, qual se fora menos digno de atenção que a hortaliça da tua casa.
A criança é um “trato de terra espiritual” que devolverá o que aprende, invariavelmente, de acordo com a sementeira recebida.
Se és filho, não desprezes teus pais, relegando-os ao esquecimento e subestimando-lhes os corações, como se estivessem em desacordo com os teus ideais de elevação e nobreza, porque também, um dia, precisarás da alheia compreensão para que se te aperfeiçoe na individualidade a região presentemente menos burilada e menos atendida.
A criatura no acaso da existência é o espelho do teu próprio futuro na Terra.
Aprende a usar a bondade, em doses intensivas, ajustando-a ao entendimento e à vigilância para que a tua experiência em família não desapareça no tempo, sem proveito para o caminho a trilhar.
Quem não auxilia a alguns, não se acha habilitado ao socorro de muitos.
Quem não tolera o pequeno desgosto doméstico, sabendo sacrificar-se com espontaneidade e alegria, a benefício do companheiro de tarefa ou de lar, debalde se erguerá por salvador de criaturas e situações que ele mesmo desconhece.
Cultiva o trabalho constante, o silêncio oportuno, a generosidade sadia e conquistarás o respeito dos outros, sem o qual ninguém consegue ausentar-se do mundo em paz consigo mesmo.
Se não praticas no grupo familiar ou no esforço isolado a comunhão com Jesus, não te demores a buscar-lhe a vizinhança, a inspiração e a diretriz.
Não percas o tesouro das horas em reclamações improfícuas ou destrutivas.
Procura entender e auxiliar a todos em casa, para que todos em casa te entendam e auxiliem na luta cotidiana, tanto quanto lhe seja possível.
O lar é o porto de onde a alma se retira para o mar alto do mundo, e quem não transporta no coração o lastro da experiência dificilmente escapará ao naufrágio parcial ou total.
Procura a paz com os outros ou a sós.
Recorda que todo dia é dia de começar.

Do Livro: Família
Pelo Espírito: Emmanuel
Psicografia de: Chico Xavier

impressora