Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA SOLIDARIEDADE

“Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.”
Bezerra de Menezes

AMIGOS DO GRUPO

Podemos definir solidariedade, conforme consulta em dicionário, como laço ou ligação mútua entre duas ou muitas coisas dependentes uma das outras.
Sendo o Espiritismo a Doutrina da Caridade e do esclarecimento, a solidariedade deve ser a iniciativa que devemos promover para atingirmos o ideal de auxílio ao próximo, utilizando-nos da máxima: “amar ao próximo como a nós mesmos”.
Sentir a dor do próximo, como nossa própria dor, faz com que nos renovemos conceitualmente.
Quando crescemos emocionalmente, sentimos o desejo de ajudar, desse modo, assumimos um compromisso interior, alegrando-nos com a realização das tarefas em conjunto, sem qualquer pretexto para nos envaidecer, nos fazendo valer do lema: “todos por um e um por todos”.
Enquanto nos acharmos solitários, tristes e frustrados com os anseios que não atingimos, nos fixando no pessimismo, não perceberemos aqueles que desejam se aproximar de nós, perdendo uma excelente oportunidade de nos sentirmos úteis e solidários.

Texto do Evangelho para a semana:
Cap.XIII – item 10 – A Caridade Material e a Caridade Moral

Quem serve, prossegue

“O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir.” – Jesus. (Marcos, 10:45.)

A Natureza, em toda parte, é um laboratório divino que elege o espírito de serviço por processo normal de evolução.
Os olhos atilados observam a cooperação e o auxílio nas mais comezinhas manifestações dos reinos inferiores.
A cova serve à semente. A semente enriquecerá o homem.
O vento ajuda as flores, permutando-lhes os princípios de vida. As flores produzirão frutos abençoados.
Os rios confiam-se ao mar. O mar faz a nuvem fecundante.
Por manter a vida humana, no estágio em que se encontra, milhares de animais morrem na Terra, de hora a hora, dando carne e sangue a benefício dos homens.
Infere-se de semelhante luta que o serviço é o preço da caminhada libertadora ou santificante.
A pessoa que se habitua a ser invariavelmente servida em todas as situações, não sabe agir sozinha em situação alguma.
A criatura que serve pelo prazer de ser útil progride sempre e encontra mil recursos dentro de si mesma, na solução de todos os problemas.
A primeira cristaliza-se.
A segunda desenvolve-se.
Quem reclama excessivamente dos outros, por não estimar a movimentação própria na satisfação de necessidades comuns, acaba por escravizar-se aos servidores, estragando o dia quando não encontra alguém que lhe ponha a mesa. Quem aprende a servir, contudo, sabe reduzir todos os embaraços da senda, descobrindo trilhos novos.
Aprendiz do Evangelho que não improvisa a alegria de auxiliar os semelhantes permanece muito longe do verdadeiro discipulado, porquanto, companheiro fiel da Boa Nova, está informado de que Jesus veio para servir e desvela-se, a benefício de todos, até ao fim da luta.
Se há mais alegria em dar que em receber, há mais felicidade em servir que em ser servido.
Quem serve, prossegue…

Texto Extraído do Livro: Fonte Viva
Pelo Espírito: Emmanuel
Psicografia de: Francisco Cândido Xavier

impressora