Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA SIMPLICIDADE

“ Daí-nos a simplicidade que fará de nossas almas o
espelho onde se refletirá Tua imagem .”
Cáritas

Amigos do Grupo

Temos ao longo do tempo tido muitos exemplos de simplicidade.
São Francisco em toda sua bondade, Doutor Bezerra de Menezes em todo seu amor, Maria de Nazaré em toda sua renúncia, Madre Tereza em toda sua dificuldade, Chico Xavier durante todo seu trabalho, foram alguns dos espíritos que o Pai Maior nos enviou para nos exemplificar e ensinar que somente a simplicidade pode nos manter na rota certa.
Cada vez que nos desviamos para o caminho do orgulho, da vaidade, do querer ser maior do que somos, caímos irremediavelmente no erro de perder a simplicidade.
Com simplicidade o Cristo viveu e nos ensinou, com simplicidade Kardec viveu e nos legou a Doutrina, com simplicidade Chico Xavier viveu e complementou-a.
Tantos exemplos, a nos alertar que somente a simplicidade pode nos auxiliar em nossa caminhada a ponto de não perdermos o foco do nosso crescimento.
“ Para que complicar se podemos simplificar ”

Texto do Evangelho- Capítulo VII itens 1 e 2
ALIMENTAR A ALMA

Por várias vezes, Chico Xavier declinou convite para uma pescaria.
Como houvesse insistência de amigos, acabou por aceitar, a fim de não sustentar uma recusa que poderia magoá-los.
Em bela manhã, reuni-se o grupo à beira de um barranco do rio. Horas depois, o pessoal havia pescado boa quantidade de peixes.
Quanto ao médium, nem um mísero lambari!
Os peixes passavam junto ao seu anzol sem nenhum interesse, e logo eram fisgados pelos demais pescadores.
Estranho!
Seria um fenômeno mediúnico ?
Indagado a responder sobre o assunto, Chico explicou:
— É que não coloquei a isca.
— Ora essa, mas por que ?
— Não queria incomodar os peixes…

◊ ◊ ◊ ◊◊

Não tive a felicidade de conviver com Chico Xavier.
Meus contatos com ele foram sempre superficiais, de passagem, mas os que com ele conviveram, exaltam seu bom humor e descontração, mesmo quando as voltas com os “filhos do trovão”.
Como demonstram seus biógrafos, Chico enfrentou existência repleta de luta e dificuldade, mas, como todo missionário autêntico, era de índole alegre e risonha, a evocar sempre os aspectos positivos da jornada humana, sem queixas, sem vacilações.
Era um médium cujo comportamento transpirava bom humor, sabedoria e simplicidade, sempre fiel aos compromissos assumidos com a Doutrina Espírita.
Uma existência inesquecível de alguém que dividiu o Espiritismo no Brasil entre antes e depois dele.

Richard Simonetti

Do livro – Rindo e Refletindo com Chico Xavier.
Autor Richard Simonetti