Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA SERENIDADE

Semana de 12 a 18/03

“Seja qual for a dificuldade, conserva a calma trabalhando, porque, em todo problema, a serenidade é o teto da alma, pedindo o serviço por solução.”
André Luiz

AMIGOS

Nada é por acaso e se hoje estamos aqui ouvindo a leitura desse Projeto é porque acreditamos e buscamos nos melhorar, não apenas como seres humanos encarnados, mas também, como espíritos imortais criados por Deus.
Portanto, se adversidades nos surgirem no caminho, sejamos perseverantes em dar seguimento nesse propósito e antes que o desequilíbrio se instale, busquemos a serenidade, independente da situação, seja nas discórdias, problemas de saúde, financeiros, enfim, precisamos manter a serenidade.
Serenidade, não é calar-se e nem falar com voz mansa e tom baixo.
Serenidade é algo que vem de dentro para fora, é uma conquista que o espirito alcança e quando surgem quaisquer dessas situações já citadas, um sentimento de tranquilidade lhe invade e ele passa a agir de forma tão serena que tudo começa a se resolver naturalmente, suas atitudes serenas transmitem segurança aos que o cercam e desperta esperança em todos que estão envolvidos no processo.
Trabalhemos pela conquista dessa serenidade sendo transmissores de paz, esperança e amor, por onde passarmos e com certeza seremos os primeiros beneficiados.

Texto do Evangelho para a semana: Capítulo: IX – Item: 10 – A Cólera

Sigamos a paz

“Busque a paz e siga-a.” – Pedro. (1ª Epístola de Pedro, 3:11.)
Há muita gente que busca a paz; raras pessoas, porém, tentam segui-la.
Companheiros existem que desejam a tranquilidade por todos os meios e suspiram por ela, situando-a em diversas posições da vida; contudo, expulsam-na de si mesmos, tão logo lhes confere o Senhor as dádivas solicitadas.
Esse pede a fortuna material, acreditando seja a portadora da paz ambicionada, todavia, com o aparecimento do dinheiro farto, tortura-se em mil problemas, por não saber distribuir, ajudar, administrar e gastar com simplicidade.
Outro roga a bênção do casamento, mas, quando o Céu lha concede, não sabe ser irmão da companheira que o Pai lhe confiou, perdendo-se através das exasperações de toda sorte.
Outro, ainda, reclama títulos especiais de confiança em expressivas tarefas de utilidade pública, mas, em se vendo honrado com a popularidade e com a expectativa de muitos, repele as bênçãos do trabalho e recua espavorido.
Paz não é indolência do corpo. É saúde e alegria do espírito.
Se é verdade que toda criatura a busca, a seu modo, é imperioso reconhecer, no entanto, que a paz legítima resulta do equilíbrio entre os nossos desejos e os propósitos do Senhor, na posição em que nos encontramos.
Recebido o trabalho que a Confiança Celeste nos permite efetuar, é imprescindível saibamos usar a oportunidade em favor de nossa elevação e aprimoramento.
Disse Pedro – “Busque a paz e siga-a”.
Todavia, não existe tranquilidade real sem Cristo em nós, dentro de qualquer situação em que estejamos situados, e a fórmula de integração da nossa alma com Jesus é invariável:
“Negue cada um a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” Sem essa adaptação do nosso esforço de aprendizes humanos ao impulso renovador do Mestre Divino, ao invés de paz, teremos sempre renovada guerra, dentro do coração.

Do Livro: Fonte Viva
Psicografia de: Francisco Cândido Xavier
Pelo Espírito: Emmanuel