Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA PAZ

Semana de 27 de janeiro a 02 de fevereiro.

“Aconteça o que acontecer, guarda-te em paz, oferecendo aos outros o melhor de ti, a fim de que os outros te ofereçam o melhor de que disponham.”
Emmanuel

AMIGOS

Diante de tantos acontecimentos perturbadores que vivemos atualmente, necessitamos de reflexão, ponderação e empenho, para que possamos construir a paz que tanto desejamos.
Não podemos nos esquecer de que se queremos a paz no mundo, devemos primeiramente, estabelece-la em nós mesmos, em nosso lar, na casa espírita, no local de trabalho, ao nosso redor.
Se todos nós nos empenharmos nesse objetivo, a paz se fará presente, talvez ainda não a conseguiremos no mundo todo, mas pelo menos a cultivaremos à nossa volta e dentro de nós mesmos.
Jesus disse-nos: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou…” (João 14-27)
A paz do Cristo está à disposição de todos. Mas só a desfruta quem pratica a lei de justiça, amor e caridade, estabelecida por Deus para a harmonia da criação.

Texto do Evangelho para a semana:
Capitulo: – IX – Item – 7 “A Paciência

Paz em Casa

Compras na Terra o pão e a vestimenta, o calçado e o remédio, menos a paz.
Dar-te-á o dinheiro residência e conforto, com exceção da tranquilidade de espírito.
Eis porque nos recomenda Jesus venhamos a dizer, antes de tudo, ao entrarmos numa casa; “paz seja nesta casa”.
A lição exprime vigoroso apelo à tolerância e ao entendimento.
No limiar do ninho doméstico, unge-te de compreensão e de paciência, a fim de que não penetres o clima dos teus, à feição de inimigo familiar.
Se alguém está fora do caminho desejável ou se te desgostam arranjos caseiros, mobiliza a bondade e a cooperação para que o mal se reduza.
Se problemas te preocupam ou apontamentos te humilham, cala os próprios aborrecimentos, limitando as inquietações.
Recebe a refeição por bênção divina.
Usa portas e janelas, sem estrondos brutais.
Não movas objetos, de arranco.
Foge à gritaria inconveniente.
Atende ao culto da gentileza.
Há quem diga que o lar é o ponto de desabafo, o lugar em que a pessoa se desoprime. Reconhecemos que sim; entretanto, isso não é razão para que ele se torne em praça onde a criatura se animalize.
Pacifiquemos nossa área individual para que a área dos outros se pacifique.
Todos anelamos a paz do mundo; no entanto, é imperioso não esquecer que a paz do mundo parte de nós.

Do livro; LUZ NO LAR – Lição 62
Psicografia de Francisco Cândido Xavier
Pelo Espírito Emmanuel