Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA PÁTRIA

“Brasil Coração do Mundo Pátria do Evangelho”

Amigos do Grupo

Estudar, assimilar e praticar o Evangelho de Jesus Cristo faz patriotas, porque, consolidando o caráter, torna os homens independentes e honestos, e tais são os que de fato, promovem o bem e a grandeza da Pátria.
Os homens guiam-se pelas idéias, movem-se pelos sentimentos.
Purifiquemos o ideal, divinizemos a “fé”, assim sendo os homens serão mais justos.
O trabalho fecundo do povo enriquece e eleva a Pátria.
O Brasil está cheio de ideologias novas, refletindo a paisagem do século. Cabe aos bons operários do Evangelho concentrar suas atividades no esclarecimento das almas e na educação dos espíritos e nos conscientizar do dever e a obrigação de preservarmos a Natureza.
Neste dia consagrado à Pátria homenageamos o Brasil com a nossa prece ao Senhor pela prosperidade espiritual do seu povo e pela cristianização verdadeira de sua gente.

Texto do Evangelho para a semana:
Capítulo: XI – Item: 4

AMOR À PÁTRIA

Tem se tornado comum utilizar a bandeira nacional em momentos de comoção de torcida de jogos mundiais ou lutas partidárias.
Faz-se, então, do símbolo da Pátria um verdadeiro escudo, chegando-se inclusive a enrolá-la no próprio corpo, à guisa de vestimenta.
Agitam-se o verde e o amarelo em dias de euforia ou de profunda tristeza.
Apesar de tais manifestações explosivas o que se verifica no dia a dia, é um grande desamor ao solo pátrio.
Não é raro se ouvirem afirmações pejorativas sobre o país, onde as palavras subdesenvolvido, terra de ignorante e país de terceiro mundo surgem abundantes…
O de que carecemos é assumir verdadeira postura patriótica, que não significa simplesmente encher a boca e falar: “sou brasileiro”, quando o país se encontre às vésperas de disputar campeonatos internacionais ou de destaca em algum outro campo.
Importante que tomemos consciência de que o país melhor somente se construirá a partir das consciências individuais esclarecidas e operantes.
Que temos feito para melhorar o padrão cultural do povo? Temos nos empenhado em alfabetizar um adulto?
Temos nos oferecido para apadrinhar uma criança, permitindo-lhe o livre acesso à escola que a instrua?
Temos nos oferecido para voluntários para aprimorar o padrão de urbanismo em nosso bairro? Colocamos o lixo bem acondicionado em sacos plásticos, para evitar a exalação do mau cheiro, tanto quanto facilitado a tarefa dos nossos conterrâneos lixeiros?
Temos respeitado as leis ou ainda somos dos discípulos da doutrina do jeitinho brasileiro?
Honrados com a chance de habitar um país tropica, coração do mundo e pátria do Evangelho, cabe-nos o dever inadiável de realizar o melhor, por mínima parcela de gratidão que seja.
Quando assim procedermos teremos aprendido a lição do amor à pátria, à Terra em que renascemos ou que nos adotou. Nesse dia, sem medo, nos será permitido cantar com o compositor popular: “Meu coração é verde, amarelo, branco, azul anil…”
Pelo processo da reencarnação habitamos países diferentes, em vidas diversas.
Isto nos dá a nota da fraternidade que deve reger as relações entre os povos.
Também a da gratidão para cada rincão que nos recebe, proporcionando-nos a possibilidade de renascimento que, em síntese, é sinônimo de progresso.

Texto da Redação do Momento Espírita.

Colaboração de uma trabalhadora