Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA MATURIDADE

“A sabedoria de um homem não está em não errar, chorar, se angustiar e se fragilizar, mas em usar seu sofrimento como alicerce de sua maturidade.” Augusto Cury

AMIGOS DO GRUPO

Ao encarnarmos trazemos conosco todo o conhecimento e aprendizado adquiridos em existências anteriores e é através da forma como vivenciamos as experiências atuais que podemos perceber a nossa maturidade espiritual.
Quanto mais agirmos com sabedoria, bom senso, compreensão, cuidado, paciência, cooperação, entre tantas outras coisas positivas e boas para nós e para o nosso próximo, mais perto estaremos de alcançar a perfeição que nos é permitida.
A fé raciocinada nos dá uma condição melhor para discernirmos todos os obstáculos que surgem no nosso caminho e, por pior que nos pareçam, também nos dá a certeza de que é exatamente o que precisamos para evoluirmos.
O conhecimento de nós mesmo e a certeza da perfeição das Leis Divinas é que nos nortearão rumo a essa evolução.
São as nossas atitudes, em praticar as Leis Divinas, que nos levarão a conquista da maturidade física equilibrada necessária para sermos chamados de: “homens de bem” e principalmente da maturidade espiritual que nos aproximarão cada vez mais do nosso progresso enquanto espíritos imortais.
Trabalhemos para essa conquista e nos aproximaremos cada vez mais de Deus, nosso Criador.

Texto do Evangelho para a semana:
Cap. XXV – item 2 e 3 – Ajuda-te, e o céu te ajudará

MATURIDADE

Se já prestamos serviço sem perguntar se a criatura está precisando…
Se já auxiliamos nas boas obras sem aguardar recompensa…
Se procuramos o trabalho que nos compete sem rogar que outros nos substituam nas próprias obrigações…
Se não registramos ressentimentos…
Se cooperamos espontaneamente em favor do próximo…
Se buscamos a própria renovação sem esperar que os outros bitolem emoções e ideias pelo nosso coração ou pela nossa cabeça…
Se estudamos os problemas da existência e da alma sem que ninguém nos obrigue a isso…
Se amamos sem cogitar se os outros nos amam…
Se reconhecemos que a nossa liberdade unicamente é válida pelo dever que cumprimos…
Se já sabemos esquecer o mal, para valorizar o bem…
Se já conseguimos calar todos os assuntos que induzam à intranquilidade e ao pessimismo…
Então, estaremos atingindo as faixas benditas da maturidade com a Vida Superior.

Texto Extraído do Livro: Aulas da Vida
Psicografia de: Francisco Cândido Xavier
Pelo Espírito: Albino Teixeira

impressora