Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA FIRMEZA

“A pedra colocada em disciplina é o agente que te assegura firmeza na construção.”
EMMANUEL

AMIGOS DO GRUPO

Nesta semana que se comemora o dia do Trabalho (trabalhador) somos convidados a refletir sobre a nossa firmeza em relação aos propósitos de vida que abraçamos.
Primeiro devemos entender que Firmeza NÃO significa ser rude ou grosseiro. Firmeza significa solidez, constância, estabilidade.
Com o esclarecimento que a doutrina espírita nos dá podemos dizer que “a Firmeza é o equilíbrio entre a severidade com que se pode corrigir o mau, e a benevolência, com que se deve educar o bom.”
Portanto se quisermos alcançar os nossos objetivos, seja ele no campo profissional, familiar, espiritual ou moral devemos ter essa firmeza nas nossas escolhas e atitudes.
Nessa semana vamos nos empenhar em trabalhar isso, focando com firmeza no nosso relacionamento familiar.
É no seio do nosso lar junto com aqueles que convivemos companheiro(a) e filhos, que temos a oportunidade de não apenas explanarmos verdades e conceitos ricos mas principalmente exemplificarmos colocando em prática tudo o que é de melhor para o nosso crescimento e do nosso próximo também.
Pensemos em uma frase de Batuíra psicografada por Chico Xavier que diz: “[…]Compreendamos a importância da hora que passa e trabalhemos. No serviço de sempre sustentemos disciplina e firmeza. Estamos reunidos para o bem. Quanto ao mais, respondamos com serviço a todos os desafios da estrada humana.”
Portanto aproveitemos para laborar nesse terreno plantando com amor e dedicação para que ainda nessa reencarnação possamos usufruir dos bons frutos dessa plantação.

Texto do evangelho para a semana:
Cap.: XX– Item 5 – Os trabalhadores do Senhor

Coerência e Firmeza

Comporta-te com a mesma firmeza e dignidade, quando a sós ou na multidão, no lar ou fora dele.
O homem de bem é sempre o mesmo, não possuindo duas faces morais.
Trabalhando-te interiormente, fixarás os ideais de enobrecimento nos atos, que se exteriorizarão, sempre iguais, nas mais variadas situações.
O homem consciente das suas responsabilidades tem uma só conduta, seja na vida privada ou na pública, caracterizando-se pela retidão, que lhe expressa a grandeza do ideal esposado.
Se adquires o hábito da dissimulação, em breve derraparás na hipocrisia e na pusilanimidade (covardia).
Exercitando-te na concentração dos pensamentos superiores, eles fluirão pelos teus atos no lar, no serviço e nas horas de recreio.
O lar é a sociedade miniaturizada nas fronteiras domésticas. Aí se forjam os valores indispensáveis para o crescimento intelecto-moral do indivíduo, preparando-o para o futuro.

*

Sê refratário (resistente) à lisonja (bajulação). Prefere uma verdade ácida a uma mentira adocicada.
O lisonjeador é desonesto com aquele a quem elogia.
Interrompe lhe a insinuação perturbadora, que te atribui valores que não possuis.
Sê, então coerente, em todos os atos, não amparando o vício, nem passando recibo em favor da fraude, das posturas reprocháveis (censuradas).
Talvez não mudes o mundo. Se, no entanto, te tornares melhor, o mundo se terá renovado com disposições superiores para o fanal (farol/lanterna) da fraternidade e da paz.

Texto extraído do Livro: Episódios Diários
Pelo Espírito: Joanna De Ângelis
Psicografia de: Divaldo Pereira Franco

impressora