Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA CONFIANÇA FAMILIAR

“Devemos ter nosso agrupamento familiar como sagrada construção,
mas sem esquecer que nossos familiares são componentes da
Família Universal sob a Direção Divina. “
In Nosso Lar – André Luiz

Amigos do Grupo

A família é sem sombra de dúvida nosso mais difícil meio de convivência.
Por mais que nos amemos, e com certeza nos amamos, sempre surgem no seio de uma família alguns problemas que nos levam a refletir o porque de nossa ligação com aquelas pessoas.
É que Deus nos dá sempre a oportunidade de crescimento no local onde mais temos chances de crescer. Aprendendo a conviver pacificamente com a família, aprendendo a amá-los com certeza ao final da encarnação seremos pessoas mais felizes e sábias.
Para isto é necessário que aprendamos a confiar nos nossos familiares e nos façamos dignos de sua confiança. Que cada elemento de nossa família saiba, que de coração, faremos por eles tudo o que estiver ao nosso alcance pelo seu bem estar, pela sua paz, pela sua felicidade.
O Cristo nos ensinou a “ Honrar pai e mãe”, nos mostrando a importância da família em nossa vida.

Texto do Evangelho – cap. IV item 19

PARENTELA

“E disse-lhe: Sai de tua terra e dentre a tua parentela e
dirige-te a terra que eu te mostrar.” Atos 7:3.

Nos círculos da fé, vários candidatos à posição de discípulos de Jesus queixam-se da sistemática oposição dos parentes, com respeito aos princípios que esposaram para as aquisições de ordem religiosas.
Nem sempre os laços de sangue reúnem as almas essencialmente afins. Frequentemente, pelas imposições da consangüinidade, grandes inimigos são obrigados ao abraço diuturno, sob o mesmo teto.
É razoável sugerir-se uma divisão entre os conceitos de “família” e “parentela”. O primeiro constituiria o símbolo dos laços eternos do amor, o segundo significaria o cadinho de lutas, por vezes acerbas, em que devemos diluir as imperfeições dos sentimentos, fundindo-os na liga divina do amor para a eternidade. A família não seria a parentela, mas a parentela converter-se-ia, mais tarde, nas santas expressões da família.
Recordamos tais conceitos, a fim de acordar a vigilância dos companheiros menos avisados.
A caminho de Jesus, será útil abandonar a esfera de maledicências e incompreensões da parentela e pautar os atos na execução do dever mais sublime, sem esmorecer na exemplificação, porquanto, assim, o aprendiz fiel estará exortando-a, sem palavras, a participar dos direitos da família maior, que é a de Jesus – Cristo.

Livro – Caminho Verdade e Vida
Espírito Emmanuel
Médium – Francisco Cândido Xavier