Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA BOA PALAVRA

“Uma boa palavra, um sorriso de incentivo, um pensamento construtor são, muitas vezes, o ponto de partida para uma grande vitória daqueles que nos cercam.”
Autor desconhecido

Amigos do Grupo

As palavras tem um poder, uma força, uma energia, que afeta a nossa vida.
A palavra sempre cria um campo energético, que abre os caminhos ou embaraça os nossos passos. Pode conquistar pessoas, melhorar os relacionamentos, mas também pode ser cruel, se a usarmos sob o pretexto de expressar a verdade.
Somos responsáveis por tudo o que dizemos, escrevemos e até mesmo lemos.
Examinemos o que e como temos falado, o que temos escrito ou lido.
Procuremos usar a palavra para o bem, para sermos envolvidos por elas.
Joanna de Angelis nos aconselha: “Se a nossa palavra não tiver o objetivo de auxiliar, será melhor que não a apresentemos para criticar.”
O bom uso da palavra é uma arte. Uma arte que exige muito de todos nós. Uma arte que tem por fim único: o amor.

Texto do Evangelho: cap. IX – item 6 – A afabilidade e a doçura.

CONVERSAR

A palavra é um fio de sons carregado por nossos sentimentos; em razão disso aquilo que sentimos é o remoinho vibratório que nos conduzirá a palavra ao lugar certo que nos propomos atingir.
Quando falamos, cada qual de nós apresenta o próprio retrato espiritual passado a limpo.
Conversando, dialogamos; dialogando, aprendemos.
Quem condena atira uma pedra que voltará sempre ao ponto de origem.
As artes são canais de expressão derivados do verbo: a escultura é a palavra coagulada, a pintura é a palavra colorida, a dança é a palavra em movimento, a música é a palavra em harmonia; mas a palavra, em si, é a própria vida.
Quando haja de reclamar isso ou aquilo, espere que as emoções se mostrem pacificadas; um grito de cólera, muitas vezes, tem a força de um punhal.
Sempre que possa e quanto possa abstenha-se de comentar o mal; a palavra cria a imagem e a imagem atrai a influência que lhe diz respeito.
Você falou, começou a fazer.
Não fale na treva para que a treva não comece a caminhar por sua conta.
Abençoadas serão as suas palavras sempre que você fale situando-se na posição dos ausentes ou no lugar dos que lhe ouvem a voz.

Do livro: Resposta da Vida
Pelo Espírito: André Luiz
Psicografia de: Francisco Cândido Xavier