Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA AUTOLIBERTAÇÃO

“Nada trouxemos para este mundo e manifesto é que nada podemos levar dele.”
Paulo. (I Timóteo, 6, 7)

AMIGOS

Sendo herdeiros de nossas próprias experiências, estamos neste mundo, reencarnados com a finalidade de nos auto iluminar e nos auto libertar.
O prazer materialista nos dá uma sensação inicial de satisfação, mas com o passar do tempo, percebemos um vazio sem conseguirmos explicar, simplesmente sentimos, vindo o desânimo, podendo chegar ao desequilíbrio.
É indispensável e urgente criarmos condições favoráveis ao desenvolvimento dos valores éticos e espirituais. Somente através desse esforço e do nosso empenho consciente para um encontro conosco mesmos, é que conseguiremos romper as amarras da ignorância, da acomodação e da indiferença.
O convite é para iniciarmos o processo da auto libertação quanto antes.
Deixemos alguma tarefa desgastante ou uma recreação exaustiva e desnecessária, para nos entregar a um momento só nosso, meditando em paz, fazendo uma auto avaliação.
Sem deixar o mundo em que vivemos, sem nos contaminarmos, busquemos os valores essenciais que nos libertarão das paixões escravizantes.
Valores supérfluos deverão ser postergados. Valorizar e priorizar os inadiáveis, nos trarão sabor de plenitude, e o êxito de nossa jornada terrestre, terá como finalidade a auto iluminação, a auto libertação.

Texto do Evangelho – Capítulo V – Item 10

ANTE O CRISTO LIBERTADOR

“Eu sou a porta.” – Jesus.
(João, 10:7.)

Segundo os léxicos, a palavra “porta” designa “uma abertura em parede, ao rés-do-chão ou na base de um pavimento, oferecendo entrada e saída”.
Entretanto, simbolicamente, o mundo está repleto de portas enganadoras. Dão entrada sem oferecerem saída.
Algumas delas são avidamente disputadas pelos homens que afoitos na conquista de posses efêmeras, não se acautelam contra os perigos que representam.
Muitos batem à porta da riqueza amoedada e, depois de acolhidos, acordam encarcerados nos tormentos da usura (juros excessivos).
Inúmeros forçam a passagem para a ilusão do poder humano e despertam detidos pelas garras do sofrimento.
Muitíssimos atravessam o portal dos prazeres terrestres e reconhecem-se, de um momento para outro, nas malhas da aflição e da morte.
Muitos varam os umbrais da evidência pública, sequiosos de popularidade e influência, acabando emparedados na masmorra do desespero.
O Cristo, porém, é a porta da Vida Abundante.
Com ele, submetemo-nos aos desígnios do Pai Celestial e, nessa diretriz, aceitamos a existência como aprendizado e serviço, em favor de nosso próprio crescimento para a imortalidade.
Vê, pois a que porta recorres na luta cotidiana, porque apenas por intermédio do ensinamento do Cristo alcançarás o caminho da verdadeira libertação.

Do livro: Fonte Viva
De: Emmanuel
Psicografia de: Francisco C. Xavier