Sistema de Dados

Perdeu sua senha?

Repositório de Dados

Perdeu sua senha?

SEMANA DA ACEITAÇÃO

De 20 à 26/11

“Se a fonte recusasse passar por sobre lodo e pedra, o campo estaria reduzido à esterilidade.”
Francisco Cândido Xavier – Rumo certo

Amigos

Por que precisamos aceitar?
Momentos difíceis que vivemos agora não podem ser mudados hoje, pois são consequências de nossas ações no passado, que podem ter ocorrido ontem ou a qualquer tempo ao longo de nossa existência como Espírito.
Como exemplo, podemos fazer uma pequena reflexão e concluir que, se hoje comermos demais, amanhã provavelmente ficaremos indispostos. Se nesse mês gastarmos além do que podemos pagar, a situação financeira no próximo mês não será boa. Se fumarmos durante vários anos, não teremos boa saúde no futuro.
Todo desconforto e desilusão em nossa vida possui uma causa e consequência, quando passamos a entender que o fruto amargo que colhemos hoje teve origem na semente ruim que plantamos ontem, fica mais fácil assumir a responsabilidade da amargurada situação atual. Então, passamos a tomar uma postura mais serena e plantamos boas sementes para que amanhã possamos colher frutos doces.
Assim, precisamos aceitar as dificuldades por quê relutarmos e ir contra fatos já acontecidos não melhorará a situação, ao contrário, deveremos ser ativos, positivos e praticar boas ações. Dessa forma, amanhã e nas futuras existências seremos mais felizes. Acredite.

Texto do Evangelho – Cap.V – item 13- Motivos de resignação

ACEITAÇÃO

Aceitação construtiva será sempre talvez mais da metade dos ingredientes de solução a qualquer dos problemas que, porventura, te aflijam. E dizemos “construtiva” porque não se trata de calma inoperante, mas sim de paciência, capaz de improvisar o bem, criando condições para que o bem se faça cada vez mais amplo para quantos nos partilhem a vida.
Reflitamos nisso e não recuses as dificuldades e provas que não possamos afastar ou remediar.
Antes de recolher-nos ao berço terrestre, na Vida Maior, escolhemos ou somos induzidos a escolher o tipo de experiência das quais temos necessidade para melhorar-nos ou promover-nos a planos mais elevados.
Diante disso, busca os recursos precisos à harmonização de tudo o que te interessa à paz e ao bom ânimo para o desempenho das tarefas que a vida te atribui, mas não te proponhas a destruir os meios de que careces para que te sintas mais eficiente na construção geral.
Se trazes algum órgão doente, procura recursos para tratá-lo convenientemente, como se torna indispensável, mas se a moléstia é irreversível, admite-a com paciência, nos domínios do próprio corpo, consciente de que ela terá função específica na preservação de tua paz.
Educa o parente difícil como puderes, entretanto, se esse mesmo familiar prossegue difícil, abraça-o, tal qual é, para que aprendas tolerância e humildade.
Acolhe as tuas dificuldades quando não consigas extingui-las, sanando-as, pouco a pouco, sob o esforço de tua energia serena.
Não fujas à luta que a vida te propõe, na intimidade de ti mesmo e, atendendo ao trabalho do dia a dia, a fim de superá-la, conserva a certeza de que é pelas tuas próprias prestações de serviço ao bem comum que a bênção da vitória te marcará.

Do livro – INSPIRAÇÃO (adaptado)
Emmanuel – Francisco Cândido Xavier